O que é Advocacia Colaborativa

O que é Advocacia Colaborativa: entenda neste artigo

Você já ouviu falar ou sabe o que é Advocacia Colaborativa? Se não, então vale a pena aprender sobre esse conceito. Afinal de contas, ele tem o potencial de fazer uma diferença significativa para todos os envolvidos tanto para os profissionais do Direito como para os clientes. De certa forma, há uma boa possibilidade para que ela se torne o padrão da prática do Direito em longo prazo no Brasil e no restante do mundo.

Hoje em dia, o Brasil é um dos países com maior densidade de advogados no mundo. Mesmo assim, temos muitos casos abertos e uma fila enorme nas principais cortes de Justiça do mundo. Isso acontece por vários motivos, mas um deles é uma abordagem muito centrada em processos e judicialização e menos centrada na resolução de problemas.

A Advocacia Colaborativa vai no sentido oposto, propondo outra maneira de resolver o problema. Assim como ter um controle financeiro é importante, também é necessário entender como o processo de advocacia colaborativa acontece.

E aí, quer entender o que é Advocacia Colaborativa? Então siga a leitura para aprender mais sobre o assunto!

O que é Advocacia Colaborativa?

É uma maneira diferente de lidar com as causas judiciais. Nesse contexto, os advogados do caso assinam um termo de não litigância, ou seja, eles se comprometem a não judicializar a questão e resolver a situação por meio não jurídico. Por isso, se a situação evoluir a ponto de não haver um acordo entre as partes, os advogados envolvidos na situação precisarão abandonar a causa para deixar que a Justiça resolva o problema, mesmo que mantendo o sigilo dos temas tratados dentro do trâmite em questão.

Dessa forma, a Advocacia Colaborativa faz com que os advogados se comprometam a solucionar os problemas dos clientes com ações extrajudiciais, como negociação, mediação e outras, com o objetivo de resolverem os conflitos de maneira dialogada, justa e sustentável.

Apesar dos advogados se comprometerem a não judicializar a questão, os clientes não precisam abrir mão de ir ao Judiciário, caso queiram. Dessa forma, eles podem dar uma chance à solução negociada e, caso ela não funcione, podem partir para a questão judicial, ainda que tenham de contratar algum novo advogado para reiniciar a questão.

Um exemplo de organização que acredita na Advocacia Colaborativa é a PAEE, a Plataforma de Apoio ao Empreendedor. Ela funciona como uma união de profissionais do Direito para ajudar empreendedores e empresários a resolverem problemas jurídicos de maneira pacífica, por meio da conciliação, mediação e arbitragem.

Quais são as suas vantagens?

Contar com o apoio da Advocacia Colaborativa traz uma série de vantagens para os clientes, assim como para os advogados. Veja a seguir alguns desses benefícios para cada um dos lados envolvidos nessa questão.

1. Solução de problemas de forma mais humana

Uma das vantagens de contar com o apoio da Advocacia Colaborativa é que os problemas serão solucionados de maneira mais humana. Isso significa que as pessoas envolvidas nessas questões jurídicas não precisarão necessariamente “brigar” para solucionar os problemas.

Por exemplo, em uma situação de divórcio ou de inventário, a presença de um advogado colaborador ajuda a evitar brigas desnecessárias, que só trarão mais sofrimento para os envolvidos.

2. Solução mais rápida

Outro benefício da Advocacia Colaborativa é o fato de solucionar os problemas de maneira mais rápida. Afinal de contas, as questões não são judicializadas, o que evita que os tempos e prazos do Judiciário influenciem nos prazos do processo, ou seja, quando a questão entra na Justiça, passa a contar o tempo que o Judiciário tem, o que pode significar que um problema simples pode levar anos para ser resolvido, enquanto que pela negociação e mediação pode ser resolvido em poucas semanas.

3. Um diferencial de mercado

Por fim, uma das vantagens para o advogado é contar com um diferencial de mercado. Afinal, essa não é uma tática muito conhecida no momento e não são todos os profissionais que contam com ela. Assim, quem tem esse recurso e passa a aplicá-lo com sucesso, tornar-se-á um advogado único no seu setor.

Para quem ela é recomendada?

A Advocacia Colaborativa pode trabalhar em praticamente todas as áreas. No entanto, ela é mais recomendada para os casos em que a questão pode ser resolvida por um acordo ou mediação, não necessariamente por uma briga jurídica.

Assim, todos os casos em que não é obrigatório entrar na Justiça para serem resolvidos, podem se beneficiar dessa maneira de ver o Direito, especialmente em relação ao prazo. Afinal, um caso que poderia levar anos para ser resolvido, passa a ser solucionado em meses.

Agora que você já sabe o que é Advocacia Colaborativa, é hora de colocar esse conhecimento em prática. Com essas informações, você poderá adotar uma metodologia de trabalho jurídica que é mais eficiente em relação ao tempo de cada caso, mas principalmente em solucionar problemas em vez de transformá-los obrigatoriamente em questões judiciais.

O que achou do conteúdo? Comente abaixo com a sua opinião!