Software Jurídico – Como escolher a melhor opção do mercado

O software jurídico entra no mercado como um tipo de sistema capaz organizar, automatizar ou mesmo gerenciar todas as atividades do ramo.

Isso porque, é bastante comum que o profissional que atua no ramo do Direito tenha que ligar com uma carga extensa de informações. 

Software Jurídico

Como resultado, é natural que algum dado ou atividade acabe “passando em branco”, mesmo sendo algo importante e que não deveria acontecer.

Dessa maneira, o software vem como uma ferramenta de trabalho indispensável, para tornar o dia-a-dia jurídico mais simples e funcional.

Inclusive, vale destacar que esse tipo de ferramenta é válida para todos, seja um advogado autônomo, aquele que é sócio em um escritório ou mesmo para os profissionais que atuam em departamentos.

Pensando nisso tudo, vamos apresentar aqui as melhores dicas para você escolher a melhor opção de software do mercado, sem cometer nenhum erro.

Boa leitura!

Software Jurídico – O que você deve saber antes de escolher o seu

Software Jurídico – O que você deve saber

Tendo em mente que o software jurídico tem como objetivo tornar a rotina dos profissionais mais simples, é preciso ir um pouco além do conceito geral. 

Neste cenário, você deve saber que a ideia desta ferramenta é garantir que você consiga acompanhar questões administrativas e judiciais.

Com isso, é possível fazer consultas e edições em cada um dos documentos ou processos, como:

  • Adicionar documentos;
  • Informar sobre honorários;
  • Adicionar respectivos desdobramentos e muito mais.

Ao mesmo tempo, a ferramenta deve garantir a atualização e automatização dos seus processos, para que você receba todas as informações.

Por fim, o software vem como um facilitador capaz de gerar relatórios, para que você entenda melhor como o seu trabalho está funcionando.

Tudo isso pode ser analisado com cuidado, permitindo que você tenha uma visão mais ampla do seu negócio.

Mas não é só isso, esses softwares também podem contar com uma agenda.

Portanto, você será capaz de organizar e gerenciar esta agenda da melhor maneira, permitindo um controle mais eficaz de tudo o que deve ser feito.

Ou seja, não vai mais esquecer ou se atrasar para reuniões ou mesmo confundir datas importantes.

Nos casos específicos de softwares para departamentos, também é possível ter uma gestão de contratos e assinaturas.

Vantagens


A partir desta perspectiva, podemos destacar as seguintes vantagens em contratar essa ferramenta para o seu negócio ou empresa:

  • Controle de tarefas e atividades;
  • Organização de pessoal;
  • Organização de trabalhos;
  • Acompanhamento de dados;
  • Informações sempre organizadas;
  • Integração de informações;
  • Melhora no atendimento;
  • Maior rapidez nos resultados;
  • Relatórios e análises de rendimento;
  • Maior mobilidade de trabalho;
  • Redução de custos, entre outras.

Software Jurídico custa caro?

Software Jurídico custa caro

Após essa breve análise, você pode se perguntar sobre o quanto será preciso investir nesta ferramenta. 

Para isso, é importante destacar que os preços podem variar bastante.

De acordo com alguns profissionais, o preço pode aumentar ou não de acordo com as soluções que são oferecidas.

Por exemplo, alguns mais simples custam por volta de R$ 80, mas o valor pode subir bastante.

Já para os departamentos, o ideal é sempre consultar um especialista capaz de analisar todas as necessidades da empresa.

Lembre-se que se trata de um investimento de negócio e nunca de um gasto financeiro.

6 dicas para escolher a melhor opção


Para escolher a melhor opção de software jurídico disponível no mercado, existem uma série de dicas que você pode seguir, como um tipo de passo-a-passo.

1- Comece utilizando uma planilha


O primeiro passo para começar a escolher a sua ferramenta de trabalho é garantir que todas as informações que você vai descobrir fiquem visíveis.

Justamente por isso, é essencial utilizar uma planilha, para ficar mais fácil comparar os dados.

Dessa forma, o processo de comparação será mais simples e todas as funcionalidades que descobrir ao longo do caminho ficaram em perspectiva.

Sendo assim, não se esqueça de deixar um espaço reservado para cada uma das funcionalidades que encontrar, para conseguir comparar quais tem ou não.

Da mesma maneira, pode ser interessante ter um espaço para colocar as avaliações de outras pessoas, caso veja algo parecido.

2- Defina quais são os seus maiores problemas que podem ser resolvidos com o software jurídico


Geralmente chamado de dores do cliente, entender quais são os problemas que você enfrenta pode facilitar o processo de escolha.

Defina quais são os seus maiores problemas

Isso porque, quando você sabe qual problema tem, sabe qual a solução que precisa.

Portanto, a dica é começar a ter um bloquinho de notas relacionados aos principais problemas que tem na rotina.

Geralmente, as principais reclamações incluem:

  • Tempo – seja pela dificuldade em se organizar, excesso de tarefas ou atividades que demandam muito tempo;
  • Prazos – principalmente relacionado a entregas, compromissos, atrasos e falta de organização;
  • Honorários – relacionado ao setor financeiro, problemas para controlar essas movimentações, relatórios e demais;
  • Movimentações – principalmente voltado para monitorar atualização ou para ser notificado;
  • Produtividade – para entender qual a produtividade sua e/ou dos seus sócios e outros profissionais, etc.

Ao entender essas dificuldades, é possível ser mais assertivo em relação a escolha do seu software jurídico.

3- Defina o que não pode faltar na sua ferramenta


Depois de entender quais são as suas dores, você já será capaz de definir quais são as funcionalidades essenciais para a sua ferramenta.

Afinal, sabendo o que você precisa, você sabe o que não pode faltar no seu software.

Complementando a ideia anterior, definir quais são as funcionalidades essenciais vai tornar o processo de pesquisa mais rápido e direto.

Assim, você não perde tempo com ferramentas que não podem ajudar, eliminando-as da sua lista.

4- Comece a pesquisar o software jurídico disponível no mercado


Após os três passos anteriores, você já está pronto para começar a sua pesquisa de mercado.

Neste caso, o interessante é focar em todas as funcionalidades e dores que considerou como essencial.

Logo, este será a sua bússola para começar uma pré-seleção.

Em um primeiro momento, a recomendação é observar quais são os softwares disponíveis no mercado e se estes cumprem com aquilo que você precisa.

Comece a pesquisar o software jurídico

Ao mesmo tempo, aproveite para anotar todas as outras funcionalidades ou informações disponíveis, anotando tudo na sua planilha.

Dessa forma, você terá um esquema organizado e simples de entender.

Além do mais, se aparecer novas informações ou ferramentas, não deixe de pesquisar cada uma delas, para saber o que significam ou como se relacionam com as funções que você precisa.

De alguma maneira, todas as informações podem ser relevantes de alguma maneira, fique atento.

5- Escolher software jurídico também significa escolher o formato de pagamento

Mesmo sendo pensado como um investimento, isso não quer dizer que escolher um software não significa gastar, afinal, você vai ter que pagar por este serviço. 

Logo, pensar nesta questão faz parte do processo de escolha.

Para começar, existem diferentes formatos de cobrança.

Alguns optam pelo pagamento fixo, ou seja, você paga um valor com volume de usuários e funções pré-determinadas.

Portanto, no momento da compra, você sabe o que vai ter e usufrui destes serviços.

Já o pagamento variável se refere ao pagamento mensal de acordo com o conjunto de funções, serviços e pessoas.

Entretanto, assim que deixa de pagar, todos os serviços ou direito de uso é perdido de maneira automática.

No mais, grande parte dos fornecedores tem uma maneira de fazer as cobranças dos serviços que oferece.

Sendo assim, é possível que a manutenção fique um pouco mais complicada e a contratação seja individual.

De qualquer maneira, é algo a ser pensado com cuidado.

6- Converse com outros clientes


Escolher software jurídico também significa escolher o formato de pagamento

Parte do processo de escolher um software jurídico envolve conversar com outros clientes, para saber o que eles têm a dizer. 

Afinal, isso pode garantir que você tenha uma visão mais clara da empresa, para entender o que eles realmente oferecem depois da contratação.

Inclusive, veja o que estão falando dele na internet, nos grupos de conversa, workshops e assim por diante.

Todas as informações podem ser válidas para você escolher a melhor ferramenta.

Portanto, isso pode servir como uma maneira de perceber o que a empresa não comenta no ato da compra/negociação e informações que passam despercebidas.

Inclusive, essa é a hora de descobrir a qualidade do atendimento que oferecem, serviços de manutenção e até mesmo as parcerias de sucesso que possuem.

Acredite, tudo pode ser um grande diferencial para escolher a ferramenta que vai ajudar você a ter uma rotina mais profissional e simples.

Dicas de outros profissionais para software jurídico


Agora, você já está melhor preparado para escolher a sua ferramenta.

Neste cenário, existem algumas opções que foram apontadas por outros profissionais em uma pesquisa de 2017.

Os advogados de empresas citaram: 

  • Espaider;
  • Advbox;
  • RR Jurídico;
  • CPJ;
  • Legal One;
  • CP-Pro;
  • Prolink;
  • Tedesco;
  • Reuters;
  • E-Xyon;
  • Benner;
  • LegalManager;
  • Kurler;
  • Advise;
  • Datajuri;
  • Alkasoft;
  • Promad;
  • Themis e Astrea;
  • TWT info;
  • Sajadv;
  • Projudi entre outros.

Além disso, muitos afirmaram que fazem uso de softwares próprios, que não são comercializados no mercado.

Por fim, você ainda tem alguma dúvida ou gostaria de saber mais sobre o tema?

Comenta aqui embaixo ou compartilhe as suas dicas e experiências com nossos leitores.

Inclusive, se tiver alguma dica de software jurídico, não deixe de compartilhar.

Grande abraço e até o próximo post!

Política de Privacidade e Termos de Uso